Meuterer

Yo-ho e uma garrafa de rum! Mas pode ser de rubis, trigo, seda, basta você decidir de que lado está, do Capitão do navio ou do MOTIM! Em Meuterer (Amotinado) você deve analisar bem os dois lados da situação e se posicionar. Mas não abuse da situação, pois ela pode se virar contra você!
Objetivo do jogo:
Acumular o maior número de pontos de vitória com a venda de mercadorias e favores prestados.
Componentes:
2 Cartas de Capitão (com valores 0/1 e 2/3)
12 Cartas de Ilhas
2 Cartas de Navios (Mercadores, Piratas)
36 Cartas de produtos (4 x rubi, 5 x sal, 6 x vinho, 7 x tecido, 8 x trigo, 6 x conflito)
5 Cartas de Ação (amotinado, grumete, contra-mestre, mercador, estivador)
2 Cartas de Destino (Capitão, Amotinado)
4 Cartas de resumo
1 regra
Não estranhe ao ver uma caixinha que mal contém as cartas e a regra dentro. Esse bem podia ser um jogo numa grande caixa cheia de componentes, mas, por algum motivo, optaram por vendê-lo apenas como um cardgame. Mas, ele é bem mais. O material é super simples, mas as cartas tem boa qualidade.
O Jogo:
Cartas de personagens
Neste jogo, todos somos tripulantes de um navio mercante. A cada rodada, escolheremos um tipo de papel a exercer, sendo que o primeiro capitão é sob sorteio. Além dele, pode-se escolher o grumete, o contra-mestre, o mercado ou o estivador.
Cada jogador terá um conjunto de cinco cartas com mercadorias a serem vendidas em uma das doze ilhas da rota do navio. Cada ilha aceita um tipo específico de produto, e seus valores mudam de local para local e de acordo com a quantidade de vendedores interessados.
Cartas de mercadorias
A mecânica é simples, mas a estratégia e o blefe são altos! Antes de mais nada, o Capitão pode (e deve) oferecer um “agrado” ao jogador que vier a ajudá-lo. Essa ação pode fazer toda a diferença no final da rodada. Depois, cada jogador, na sua vez, deve colocar uma carta à sua frente, até decidir parar. Dessas cartas (que podem ser de tipos diferentes) sairá o possível produto para a venda (que terá que ser de um único tipo). Além dos produtos, o jogador também pode colocar cartas de combate, que são o poderio de fogo que ele terá num possível combate.
Disposição do jogo
A quantidade de cartas que permanecem na mão do jogador é extremamente estratégica, pois será a quantidade de ilhas que ele poderá mover o navio (duas cartas, duas ilhas a frente). Quando o Capitão decide parar, deve posicionar o destino de seu navio. Os demais jogadores, que não forem o Capitão da rodada, deverão escolher um dos papéis disponíveis.
A primeira possível parada do navio será decidida pelo Capitão. A partir daí, cada jogador deve pensar se é interessante manter essa rota, ou se deve criar um motim para levar o navio para outro porto de seu interesse. Todos os jogadores revelam seus papéis. O Mercador e o Estivador são papéis neutros, que geram benefícios apenas para si mesmos. O Contra-mestre estará ao lado do Capitão, e o Amotinador e o Grumete tentarão dominar o navio. Estes dois possuem duas vantagens nas suas cartas e no critério de desempate, por isso é tão importante para o capitão comprar a ajuda do Contra-Mestre lá no começo do turno. Estando posicionados, aqueles que ainda tiverem cartas de conflito e quiserem baixá-las, o podem fazer.
Se os mocinhos vencerem o combate, o navio vai para a ilha escolhida pelo capitão e ele mantém seu chapéu. Mas se o motim vencer, o navio segue para o porto escolhido pelo Amotinado e ele torna-se o Capitão da próxima rodada. Cada um escolhe os bens que irá ou puder vender, e contam-se o pontos.
Considerações:
Meuterer foi uma grande surpresa. A modesta caixinha com cartas revelou-se um jogo de tabuleiro de respeito que merecia uma apresentação melhor. Não que isso atrapalhe a jogabilidade, de forma alguma, mas daria um status que o jogo merece.
Irmão do jogo Verräter, do alemão Marcel-André Casasola Merkle (autor também de Taluva), Meuterer não é uma expansão do primeiro, como pode parecer, mas ambos guardam semelhanças além de seu criador, possuindo uma estrutura muito semelhante.
É feito para 3 a 4 jogadores, mas funciona muito melhor com 4, proporcionando uma disputa maior, estratégia e blefe muito mais interessantes.
Esse jogo possui uma curva de aprendizado muito curiosa, permitindo aos jogadores uma diferente brutal de pontuação de uma primeira para segunda partida. Aconselho a jogá-lo no mínimo duas vezes seguidas. As partidas com 4 jogadores duram 1 hora, não mais, e são bastante divertidas. Para aqueles que desanimam fácil, o jogo permite reviravoltas, e mesmo zerando dois ou três turnos, ainda há possibilidades de vencer.
Bom, pequeno e barato, fica a dica de um bom jogo para se ter na ludoteca. Acompanha ainda uma pequena expansão do navio Pirata.
No site do autor está disponível para download um tabuleiro para marcação dos pontos e turnos.
Para quem quer conhecer, existem uma versão online para jogar em tempo real. 

REGRAS EM PORTUGUÊS: Traduzimos as regras para o português, e você pode baixar aqui via BGG.

Informações adicionais:
3 a 4 jogadores
Acima de 12 anos
Tempo médio: 45 a 60 min
Valor médio: U$10
Publisher: Adlung-Spiele
[publicada na Ludo Brasil Magazine nº19. Este artigo foi modificado e teve seu conteúdo ampliado para o blog.]

Blog de Origem: Desbussolados – fanáticos por boardgames
Link: http://desbussolados.blogspot.com/2012/09/meuterer.html
Autor: Renata Palheiros

Indigo – Ravensburger

Caminhos sinuosos – reviravoltas surpreendentes – simplesmente mágico! 

Um jogo de Reiner Knizia para 2 a 4 jogadores a partir dos 8 anos, com a duração de 30 minutos. 

Componentes

 

Ideia e Objetivo do Jogo

No
Indigo jogadores tentam reunir as pedras mais
valiosas. Eles colocam peças
de caminhos que permitem o movimento das gemas das
saídas da borda do tabuleiro de
jogo. Estas

Blog de Origem: Dream With Board Games
Link: http://dreamwithboardgames.blogspot.com/2012/09/indigo-ravensburger.html
Autor: dreamwithboardgames

Mega Over Blast Joga do Que Rei Sou Eu? by Mateus

turma que acorda cedo para saciar o vício
Manhã de sábado e o dia seria de pura jogatina. Combinamos uma joga de Kingsburg com a expansão To Forge a Realm que adiciona eventos aleatórios, cartas de profissão, prédios novos entre outros incrementos que deixa o jogo ainda melhor. Então tínhamos Mateus (Carpinteiro), Solon (Mercenário), Gaudério (Feiticeiro), Wyllian (Paladino) e Vitto (Arquiteto). O jogo começou com o único estreante do jogo na liderança, Wyllian Paladino disparou na frente. No entanto foi daquelas aberturas que perdem o gás, logo foi alcançado pelos demais concorrentes ao trono, Solon aproveitava sua profissão de mercenário para não se preocupar muito com as batalhas ao final do ano e Gaudério aproveitou os prédios novos para se armar e tornou-se um feiticeiro bélico. Já Mateus teve uma puta sorte, não por pegar a profissão de carpinteiro, que diga-se de passagem é bem fraquinha, mas pelas cartas de evento, nos 2 primeiros anos teve o benefício de construir edifícios das 2 primeiras colunas economizando 1 recurso e depois então… logo saberão. Por outro lado o arquiteto Vitto estava numa maré ruim, seus dados não ajudavam e sua habilidade tão pouco. Mateus resolveu investir na fazenda, estratégia conhecida e carimbada, mas graças a economia de recursos, conseguiu concluí-la bem cedo já no terceiro ano e como consequência aproveitou a ajuda do dado extra para visitar os aposentos da Rainha em toda seção produtiva, ainda mais que como carta de evento o Rei ficou doente. Com isso ao final do terceiro ano Mateus Carpinteiro toma a liderança seguido por Wyllian, Gaudério, Solon e Vitto.
até o novo mascote foi conferir o enterro no rei, e a Camila minha verdadeira Rainha
Então acontece o inusitado, e para a mega sorte do Mateus, a carta de evento traz a mensagem que o rei morreu e o jogo acaba antes do final, e como o Marceneiro já liderava papou a vitória. Agora, quem diria que entre um Paladino, Feiticeiro, Mercenário e Arquiteto, quem fosse fisgar o “coração” da Rainha fosse o pé rapado do Marceneiro.
Placar final: Mateus 32; Gaudério 29; Wyllian 28; Solon 27; Vitto 23
A tarde ficaram Solon e Gaudério mas fomos brindados com as presenças de Marcos e logo depois de Lebon e Flamarion. Após um início abortado de Alea Iacta Est, aproveitamos para jogar o jogo criado pelo Marcos, Raptor, no jogo você e seus companheiros caem numa ilha misteriosa na procura de 3 tesouros escondidos, a ideia é conseguí-los antes de todos e conseguir voltar para a base inicial, porém, descobre-se que existe um dinossauro na ilha a lá Jurrasic Park. Jogo bem família que divertiu a galera e mostrou uma face bem legal, em certos momentos se torna semi-cooperativo, mas em outros uma sacaneação pura. O jogo foi vencido pelo Gaudério que conseguiu passar a perna no Marcos no finalzinho e roubou o ovo de dinossauro (tesouro coringa) e conseguir sair correndo de volta para a base antes de ser devorado pelo Rex. Mateus já estava com os 3 tesouros, mas não foi tão rápido quanto o Gaudério. Ótimo Playtest.
Esse chifrinho é em ti ou no Marcos, Gaudério?
Com a chegada do Lebon partimos para um Amun-Re do famoso designer Reiner Knizia, o jogo é a cara do Knizia, porém acredito ser um dos melhores títulos do autor. Em sistema de leilão e com “temática” do antigo Egito, o jogo tem uma base matemática muito sólida com estratégias equilibradas e com o componente sorte bem balanceado. Depois de uma extensa explicação de regras, pois nosso adolescente de 60 anos é hiperativo, participaram Lebon, Mateus, Solon e Marcos da partida. Lebon usou sua experiência para comprar e usar cartas na hora certa, Solon traçou uma estratégia de fazendeiros que garantiu uma boa quantia de dinheiro, Mateus ficou perdido no começo e não conseguia acumular grana para a fase de compras e sacrifício aos deuses, mas pegou o ritmo no final. Marcos começou bem, mas na segunda parte do jogo não conseguiu repetir o aproveitamento e pontuou pouco. Resultado final, Lebon em primeiro, Mateus em segundo, Solon em terceiro e Marcos na lanterna.
ótimo mapa de Amun-Re ao final de nossa partida
Enquanto as pirâmides eram erguidas de um lado da mesa, no outro Gaudério, na companhia do amigo Flamarion, mostrava 2 jogos já famosos no grupo: Last Will e Takenoko. Na única partida de Last Will  os dois jogadores quebraram no 6° turno, mas por questões de desempate Gaudério ficou com a vitória. No Takenoko parece q o panda tava dando sorte para o Gaudério que encaixou bastante pontos de vitória, não dando chances para Flamarion.
turma da seçào da tarde (Lebon – Flamarion – Gaudério – Solon – Marcos)
Para fechar a noite naufragamos com o jogo Hansa, demos tanto pau no jogo que estou sentindo pena dele, na verdade é um jogo simplório onde você viaja através de portos atribuindo-os influência, comprando mercadorias (barris) e vendendo (pontuando). Existe uma sacanagem no jogo, quando você vende um barril de determinada cor, faz com que os outros jogadores que possuem barris da mesma cor, percam pelo menos uma mercadoria. O problema que inevitavelmente quem sempre sofria com isso era o Flamarion, o jogo inteiro foi um Smash the Flamarion, cada jogada que eu fazia pedia desculpas para ele. Auxiliado pelo Gaudério, que marcou bastante o Lebon, Mateus venceu o jogo que fechou o sábado mais lúdico do mês.
hora de abandonar navio, até a próxima!

Blog de Origem: GamersPoA Jogos de Tabuleiro
Link: http://gamerspoa.blogspot.com/2012/09/mega-over-blast-joga-do-que-rei-sou-eu.html
Autor: Kony

Sabe quando a joga não valeu a pena…By Bira

Sabe aquela joga que vc sai e pensa…porra podia ter ficado fazendo outra coisa; estar com a família…
Foram dois jogos: o Empires of Ancient World (Martim Wallace, meu autor preferido) e o Successors jogo que acho muuuito bom, mas com falhas gravíssimas e uma house rules bem pensada resolveria tudo…
Bem começamos com o Empires que é um jogo de guerra, com cartas e dados…tem bastante aleatoriedade e caos e isso faz parte do divertimento…eu gosto do game, mas toda vez que ele viu mesa sempre gerou duplas emoções ame ou odeie…e isso é ruim pois estar a mesa com um jogo que vc curte, mas alguém não está se divertindo que para mim é o principal fator em uma jogatina é uma BOSTA…
O jogo foi assim…não tem muitas regras, mas elas são chatas e requerem consulta constante…um puro Martim Wallace que é realmente prolixo e cheio de detalhes nas suas regras…o que frusta quem joga pela primeira, segunda e se der chance terceira vez…lá pela quart a que rola…
Na foto abaixo o novo morador aqui de casa…o PUFF cachorro de minhas filhas…

No jogo a maior experiencia me ajudou e no inicio do terceiro round após descobrirmos um erro grave de regras paramos a partida com o resultado de Bira 49, Lock 43, Jesse 34 e Lebon -7… por que a galera não estava gostando…

Fomos para o Successors o jogo já foi muito falado aqui…foram 17 partidas documentadas..o que possivelmente acaba sendo mais pois nem todas vem pro blog…o jogo é bom, mas tem falhas considerávveis e 17 partidas me autorizam a dizer isso…o Lebon é contra mudança de regra para equilibrio da partida…e respeito a opinião do cabra…mas essa pérola (pelo custo, pela idéia e pela maioria das mecânica) eu não jogo mais caso mudanças não sejam feitas o que é uma pena…

Nessa joga mais uma vez ficaram claros seus defeitos…imaginem um jogo de 5 horas onde um dos jogadores é eliminado em 20 minutos por 3 rolagens sem sorte e uma carta combo do oponente? Um jogo desse “quilate” deveria prevenir isso???

Bom posso estar chateado, pois o eliminado fui eu, mal perdedor…enfim…volto ao tópico que o que conta é a diversão…e não foi divertido…assim como o que venci anterior não foi divertido pra mim!!!!

 A vitória foi pro Lebon, mas na joga de um modo geral todos foram derrotados pela baixa diversão…

Belo jogo que não verá mais mesa…embora eu esteja pensando em adquirir uma cópia e sentar com Jesse e Lock para colocarmos mãos na massa e arrumar o bagaço…

Foi isso…
Braços…

Blog de Origem: GamersPoA Jogos de Tabuleiro
Link: http://gamerspoa.blogspot.com/2012/09/sabe-quando-joga-nao-valeu-penaby-bira.html
Autor: Plano Dentista Consultoria

No Gracias!

Sinopse:

No Gracias! é um jogo em que tentamos evitar ganhar cartas que se colocam na reserva pessoal, para isso cada jogador tem ao seu dispôr moedas. No entanto, como as moedas são limitadas é inevitável ter de ganhar  algumas cartas mais cedo ou mais tarde, por isso, todos os jogadores vão procurar ganhar as cartas com o menor valor possível para no fim do jogo não terem a maior pontuação!

Como se joga:

No início do jogo baralham-se as 33 cartas (do 3 ao 35) e retiram-se 9 sem se ver. Essas 9 saem do jogo e com as restante 22 forma-se um baralho de fce oculta.

Entretanto distribuem-se 11 moedas a cada um dos jogadores, que as devem guardar secretamente na mão.

Define-se o jogador inicial que irá revelar a primeira carta do topo do baralho.

Em seguido o mesmo jogador inicial irá decidir se fica com essa carta para si ou se prefere pagar para passar.

Se decidir ficar com a carta, pega nela e coloca-a à sua frente, guardando as moedas que eventualmente a carta tenha sobre ela. Se já tiver alguma carta com um número imediatamente superior a essa, coloca a carta ganha à esquerda dessa, no caso de ter uma carta com um número imediatamente inferior à que acabou de ganhar, coloca-a à sua direita.

Por exemplo, se um jogador ganhou uma carta com o número 24 e já tem uma carta com o número 23, irá colocar o 24 à direita do seu 23, formando uma sequência. Duas cartas com números consecutivos são já uma sequência!

Se ao ganhar uma carta não tiver outra(s) para formar uma sequência, como anteriormente exemplificado, o jogador deixa-a sozinha à sua frente.

Se o jogador decide passar terá de colocar uma moeda, das que tem na mão, sobre a carta que rejeitou. Os jogadores podem rejeitar a mesma cartas quantas vezes o seu dinheiro permitir, isto é, se um jogador na sua vez tiver moedas na sua mão, pode optar por passar, no entanto, se na sua vez quiser passar mas não tiver dinheiro na mão, terá obrigatoriamente de ficar com a carta.

Quem ganha uma carta passa a ser o jogador inicial e vira a carta seguinte do topo do baralho, sendo também o primeiro a decidir se fica com essa carta ou se paga para passar.

O jogo termina quando a última carta for ganha por um dos jogadores. Em seguido procede-se à contagem final. Na contagem final, contam-se os pontos das cartas da reserva de cada jogador menos o dinheiro que ele tenha na mão. Se um jogador tiver uma ou mais sequências, isto é, vários números seguidos (p.ex.: 22, 23, 24,25) o jogador só conta os pontos da carta com o valor menor dessa sequência.

Por exemplo o Jonas tem as seguintes cartas no fim do jogo:

Como se pode ver ele tem uma sequência do 28 até ao 35 (daqui contabiliza 28 pontos negativos) mais uma sequência do 13 até ao 15 (daqui contabilizam-se 13 pontos negativos) e ainda uma carta sozinha que adicionam ainda 17 pontos negativos à pontuação do Jonas.

Ou seja, 28+13+17=58 pontos negativos, no entanto, o Jonas consegui arrecadar muitas moedas, 32 ao todo, por isso,

58-32=26 pontos negativos

O vencedor é o jogador com menos pontos negativos!

Avaliação:

No Gracias! é um jogo de cartas muito simples e que se joga em pouquíssimo tempo, por isso enquadra-se perfeitamente entre dois jogos de maior duração ou numa noite de jogos em família e com amigos. É quase impossível jogar-se apenas uma partida dado que a sensação final é sempre a da desforra!

Não será nunca um jogo reconhecido pelo seu brilhantismo mas é sem dúvida um jogo que todos conhecem e que numa ou noutra ocasião já jogaram. Ninguém pode dizer que No Gracias! é um jogo mau bem pelo contrário, este pequeno jogo de cartas tem todos os condimentos necessários para sem um indispensável em qualquer ludoteca que pretenda ser ecléctica.

O jogo oferece uma relação preço/qualidade que o coloca imediatamente na prateleira dos recomendados!

Ligações:

Site da Moarapiaf -> AQUI

Ficha BGG -> AQUI

Vídeo em espanhol -> AQUI

Comprar:

Morapiaf -> AQUI

Blog de Origem: JogoEu
Link: http://jogoeu.wordpress.com/2012/09/28/no-gracias/
Autor: abruk

Resenha : Zombicide

Como prometido ontem, hoje vou falar um pouco mais do Zombicide, o lançamento que está fazendo todo mundo coçar os bolsos (com força, porque está caro).

No Zombicide cada jogador é um sobrevivente tentando alcaçar objetivos propostos nos mais de 10 cenários disponíveis no manual do jogo.

Caixinha com as miniaturas super bem acomodadas. Foto BGG.

As regras gerais são super simples. Na sua rodada o jogador tem 3 ações possíveis (mover, fazer uma busca no local, matar zumbi entre outras) e depois de todos os sobreviventes jogarem os zumbis entram em ação e depois pipocam mais zumbis. Simples assim.

O que torna o jogo bastante interessantes são os 4 diferentes tipos de zumbis e a forma como as coisas vão escalando.

Cenário montado, a coisa pode ficar bem feia pros sobreviventes. Foto BGG.

Os zumbis são divididos em walkers (fracos e lentos), os runners (com duas ações por turno), os fatties (que são difíceis de matar) e o abomination (que é uma DROGA para matar).

Outra coisa legal é que quanto mais zumbi os sobreviventes forem matando, maior as chances de surgirem cada vez mais, pois na ficha de cada personagem temos um grau que vai de amarelo a vermelho e conforme vamos passando de nível, as cartas de surgimento de zumbis vão ficando mais fortes, mas em contrapartida os sobreviventes ganham novos poderes.

Para completar a resenha do jogo de quarta feita pelo Groo.

Regras simples, excelente jogabilidade aliados a uma produção impecável fazem do Zombicide item obrigatório para os fãs dos mortos-vivos.

Blog de Origem: E aí, tem jogo? – A sua página sobre jogos de tabuleiro moderno.
Link: http://eaitemjogo.blogspot.com/2012/09/resenha-zombicide.html
Autor: Cacá

Munchkin e Sim, Mestre das Trevas! quase prontos!

É isso aí pessoal!!
Estamos chegando em Outubro e tem mais diversão ficando pronta pela Galápagos Jogos!

Os jogos Munchkin e Sim, Mestre das Trevas! estão chegando em seu estágio final de produção:


Para comemorar este lançamento duplo, resolvemos estender a pré-venda um pouquinho mais…
Quem comprar até o dia 30/9, poderá aproveitar o frete-grátis, desconto do combo e receber esses 2 super-jogos antes de todo mundo! =)

Aproveite! É a sua chance de entrar na Dungeon chutando todas portas, matando os monstros, roubando tesouros e apunhalando seus amigos!!!

Blog de Origem: Galápagos Jogos
Link: http://blog.galapagosjogos.com.br/2012/09/munchkin-e-sim-mestre-das-trevas-quase.html
Autor: Galápagos Jogos