82 Castelo das Peças – Edição de 8 anos

Get The Crestock Daily Free Stock Photo Here

Dia 26 de setembro, sábado, vai ser realizada a 82ª edição do Castelo das Peças. O evento vai ser realizado na Universidade Veiga de Almeida – Campus Tijuca. Fica localizada na Rua Ibituruna 108. A Universidade Veiga de Almeida é de fácil acesso e fica bem perto do metro São Cristovão.

ESTA VAI SER A EDIÇÃO DE 8 ANOS DE CASTELO DAS PEÇAS. TALVEZ TENHAMOS NOVIDADES!!!

O horário é de 9h00 até as 17h30.

É no velho esquema de levar os jogos. Quem tiver interesse em algum jogo ou quer marcar alguma partida pode usar o grupo ou a fanpage no Facebook.

COMO TINHA FALADO DESDE A EDIÇÃO DE ABRIL ESTOU PRECISANDO DA AJUDA DE TODOS VOCÊS PARA MANTER O EVENTO QUEM PUDER AJUDAR COM PELO MENOS R$20,00 VAI SER BOM QUE ASSIM VOU PODER GARANTIR MESAS E CADEIRAS PARA O PESSOAL.

QUEM AJUDAR COM MAIS DE R$50,00 VAI GANHAR UM CUPOM DE DESCONTO DA TABULEIRO MIX. MAIS DETALHES DE COMO AJUDAR É NO LINK AQUI: http://goo.gl/uXldY0

Estarei também com jogos da Grow, Devir, Galapagos, Copag, MS Jogos, Boadgames.com, Ludeka, Mitra, Ludens Spirit e Hasbro para quem quiser conhecer e jogar.

A Riachuelo Games vai estar com o Fields of Gore para o pessoal poder conhecer e jogar.

O pessoal da BEST Games vai estar com seus jogos ainda em prototipos para o pessoal poder conhecer mais.

Estamos com uma cópia do mais novo lançamento da MS Jogos: Aquarium. Vai estar disponivel para quem quer conhecer. E também os outros jogos (Shazam, OVNI, Dogs, Gran Circo e Vale do Monstros).
SERVIÇO:
82º Castelo das Peças – Evento de Jogos de Tabuleiro no Rio de Janeiro
Data: 26 de setembro de 2015
Local: Universidade Veiga de Almeida – Rua Ibituruna 108 – Bloco C – Tijuca
Horário: 09h00 até as 17h30
Faixa Etária: Livre
Entrada Gratuita

Blog de Origem: O Castelo das Peças
Link: http://ift.tt/1KXmBla
Autor: shamou

Eminent Domain: Microcosm

Get The Crestock Daily Free Stock Photo Here

Jogo de 10 minutos para dois jogadores baseado na atmosfera do EMINENT DOMAIN boardgame. É um semi deck building meio capenga. Eu gostei muito do board, mas essa mini versão pra dois players soou bastante genérica.

Podia ter mais elementos do game “mãe” pra ficar mais legal. Atualmente temos tido uma enxurrada, maior do que o normal, de produtos derivados de um game específico. Vale ficar atento e dar umas olhadas em reviews antes de adquirir.

Blog de Origem: Game Analyticz
Link: http://ift.tt/1NIsw3A
Autor: VINCE VADER

Fabricas, produção como diversão e educação?.

Get The Crestock Daily Free Stock Photo Here
Para quem vive no meio industrial o termo Kanban não é desconhecido. Em síntese significa entregar na linha de produção o componente X na quantidade Y e no tempo exato Z, de modo que o fornecedor deve atender o processo de fabricação do cliente, conforme especificado. Desta forma os estoques do fabricante são mínimos, pequenos pulmões emergências e tudo depende de funcionar como um relógio, sendo que a atividade toda ocorre em diferentes industrias especializadas, cada qual com alguns componentes específicos, isso muito lembra o parque industrial de setores como o  automotivo.
Bom, tudo isso é uma teoria, mas que é avidamente colocada em pratica no meio industrial, funciona muito bem, e requer muita organização.

Bom falar de fabricas!!…muitos vão lembrar e não dá para continuar a escrever, sem deixar de citar jogos como Age of Industry o Brass de Martin Wallace, que embora as voltas com a revolução industrial… tema industrial, não são os tipos de jogos que vou referenciar. Vou ser mais específico, produção pura e simples, uma fábrica que produz um produto que seja abstrato, produção direta e seus desafios, então…..

…que tal jogar isso??…

… fabricar produtos!!!…. já nos anos setenta, muitos autores e editoras, desenvolveram jogos onde a ideia central  era sistemas de produção, o tema variava em torno de fábricas de chocolates, e outras iguarias, nada sugestivo pelo visto, e ainda por cima a quase totalidade, para serem jogados por jogadores mirins, entre 5 a 8 anos. Estes jogos em média bastante simples, obedecendo a velha máxima, ” jogo de tabuleiro é coisa para criança”, beleza!….mas as crianças cresceram e continuaram a jogar, e chegamos então aos jogos modernos.

Esse passeio começa em 2014, com o autor Vital Lacerda que propôs em seu jogo, por em pratica  atividades industriais, simulando o funcionamento do Kanban, o  resultado é  um jogo considera muito estratégico, convincente, que simula relativamente bem o conceito e sistema de produção.

Kanban não foi o primeiro jogo com a temática que vamos explorar, voltando no tempo, Factory Fun de 2006, criado por Corné van Moorse, mergulhava de cabeça em jogo onde o jogador tinha que configurar uma linha de produção, montando diferentes componentes de modo a combinar o melhor esquema de funcionamento. Realmente  faz lembrar as linhas continuas de fabricação, dos tempos onde surgiram nas fabricas da Ford, apesar de no caso o jogo ser completamente abstrato.

Factory Fun
Corné van Moorse  pelo visto gosta do tema, afinal além do acima citado, desenvolveu outro jogo nos mesmos moldes, mas agora com foco na estocagem de produtos, ai seguindo as necessidades e caminhos e estratégias da logística, no jogo Factory Fever , que no entanto é  uma das etapas do todo que é o processo de fabricação.
Airships de 2007 de Andreas Seyfarth!!…. esse mesmo??…o autor de Puerto Rico que também não deixa de ser uma espécie de linha de produção, a partir dos campos, passando por beneficiadoras e chegando as portos e navios. Mas voltando ao Airships, a ideia é a produção de Zepelins, os dirigíveis. é um jogo mais leve, mas é necessário cumprir diferentes etapas para se chegar ao produto final que é o Zepelin.
Automobile de 2009, criado por Martin Wallace leva o jogador embora de forma mais superficial para o campo da produção automotiva, porem a visão aqui é a comercialização do produto final, ficando a produção relegada a segundo plano. Conta mais algo como tendência e estilo para vender o produto e as redes de distribuição. A versão da Mayfair ai ao lado esta deverás bonita.
Shipyards de 2009 criado por Vladimir Suchy, leva o jogador aos estaleiros navais onde deve efetivar contratos de construção de navios, obedecendo diferentes etapas e necessidades para chegar a um produto final que é o navio.
Como visto depois da virada do século, não houve um vácuo muito grande entre os experimentos lúdicos do gênero. Volta e meia autores nos trazem novas criações, jogos focados na produção, alguns bem específicos, outros mais periféricos, mas ainda assim fazem parte do todo da cadeia produtiva. 
Novos lançamentos ainda para 2015, como o Robot Factory, da dupla Jani Mollis e Tero Mollis, no qual o objetivo é construir robôs em uma fabrica completamente automatizada. A ideia aqui é em um futuro próximo produzir robôs em escala industrial.
Também  para 2015, fins de Agosto, estamos ai!!!… outra dupla, esta  inspirada no Kanban, resolveu criar um jogo cujo o tema central  também é produzir automóveis, neste caso o mais popular, o jogo passa por algumas das facetas da produção e comercialização, mas não deve ser  um jogo com muita profundidade, visto focar num público jovem, sugeridos 8 anos. Este é Automania dos autores Kenneth Minde e Kristian Amundensen Ostby.
Bom senhores, este apanhado que passou sem obedecer uma ordem cronológica, mostra alguns dos jogos já criados para simular o funcionamento das fábricas. Alguns são simples e outros embora com o pé em algum ponto dos processos de fabricação, abordam facetas diversas do todo da cadeia produtiva como já mencionado anteriormente. 
A compilação, aponta também jogos específicos que poderiam facilmente ser usados de forma acadêmica, cito em particular o Kanban, que é bem aprofundado no assunto, e  quem sabe não vira objeto de estudo em algum curso de graduação pelas terras tupiniquins.
Abraço!
Imagens: BGG

Blog de Origem: Mundo do Tabuleiro
Link: http://ift.tt/1UkXvBL
Autor: Hermes

Novidades Sergio Halaban

Get The Crestock Daily Free Stock Photo Here

Sergio Halaban é um designer de jogos brasileiro muito conhecido e com inúmeros jogos já editados. Um deles foi Formula E de que falámos no artigo anterior.

Aproveitando a simpatia do autor brasileiro questionamo-lo sobre as suas novas criações…

As novidades estão para breve, segundo o próprio, e darão pelo nome de Warehouse 51, ainda este ano, e Quartz mais para o ano que vem.

Warehouse 51 é mais uma cooperação entre Bruno Faidutti e André Zatz e será apresentado pela FunForge (detentora dos direitos mundiais do jogo) em Essen. Curiosamente este jogo já foi lançado nos Estados Unidos (Passport Game Studios) na GenCon.

Quartz é outra parceria do autor com o colega de sempre André Zatz.
Quartz será distribuído no Brasil pela Fun Box jogos. Os jogos da pré-venda devem começar a ser entregues em setembro, enquanto que para o resto do mundo será a Passport Games Studios, dos EUA, a responsável pelo lançamento mundial, que só ocorrerá em 2016.

Blog de Origem: JogoEu
Link: http://ift.tt/1JAZUGT
Autor: abruk

Ferrovias de São Paulo !

Get The Crestock Daily Free Stock Photo Here



São Paulo teve uma rica história Ferroviária! Pelos trilhos das diversas Companhias Ferroviárias, foram transportados parte da riqueza do Estado. Muitos desses produtos, simplesmente transitavam pelas cidades ou eram enviados a outros Estados. Muitos acabavam descendo a Serra e entregues nos Barcos atracados no Porto, de onde partiam para lugares mais longínquos.

Em meio ao transporte desta riqueza, também trafegaram por estes trilhos vagões de passageiros, numa época em que as distâncias eram difíceis de serem vencidas pelas Locomotivas à vapor, que lentamente cruzavam vales e planícies.

De uma forma geral, podemos dizer que 8 Companhias se destacaram nesta empreitada

Cia. Sorocabana de Estradas de Ferro, Cia. Paulista de Estradas de Ferro, Cia Mogiana de Estradas de Ferro, Estrada de Ferro Araraquara, São Paulo Railway, Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, Estrada de Ferro São Paulo – Minas e Estrada de Ferro São Paulo – Rio

Cada uma dessas Companhias Ferroviárias tiveram seu tempo e seu auge e com a escolha governamental da utilização de Rodovias, todas tiveram sua decadência com o passar do tempo.

Atualmente, pouco resta de muitas delas, a não ser trilhos e dormentes escondidos pelo mato alto e estações e depósitos vandalizados, destruídos e muitos deles desaparecidos completamente, sem nenhum sinal que por ali passaram passageiros, produtos, histórias e riquezas.

Triste fim de uma história rica e bela !

“Ferrovias de São Paulo” coloca no tabuleiro todas estas Companhias em pleno funcionamento, onde produtos terão que ser transportados pelas cidades e enviados ao Porto de Santos para serem enviados a outros destinos.

Os jogadores terão que gerenciar os diversos produtos utilizados no jogo, bem como trabalhar para que estes produtos tenham a maior renda possível através de compra e venda. Iniciará o jogo com 1 Locomotiva e 1 Vagão para transportar os produtos. Ao longo da partida, terá que melhorar tanto as Locomotivas quanto os Vagões, tornando-os mais eficientes. Terá também que fazer bons negócios com os Agentes de outros jogadores e com um Negociador que se encontra no jogo desde o início da partida. Por fim, poderá também comprar Ações das diversas Companhias Ferroviárias, Ações de Mineradoras, tão importantes para o Mercado de Carvão e também Ações da única Companhia de Telégrafo do jogo.

“Ferrovias de São Paulo” é um jogo “Econômico” e aquele jogador que mais dinheiro tiver no final da partida, será o vencedor !

Mais que um jogo, queremos colocar um pouco da história Ferroviária de São Paulo no Tabuleiro, e relembrar um pouco quando nossas riquezas, nosso povo e nossa história eram transportadas nos velhos vagões de madeira, puxadas por Locomotivas que insistiam em vencer os desafios deste território paulista !

Desejamos a todos uma boa viagem !

Blog de Origem: Clube do Tabuleiro de Campinas
Link: http://ift.tt/1JwyygK
Autor: Wagner