Campanha Imperial Assault – Sessão 1

Comecei com os amigos uma campanha de Imperial Assault, já fiz uma resenha do jogo por aqui, então vou falar um pouco de cada cenário e de como foi o andamento das partidas, não vou tentar não soltar muitos spoilers, mas como cada experiência de jogo é bem pessoal, acho que não será nada muito grave.

Logo após a destruição da primeira Estrela da Morte, ainda com os destroços caindo sobre o planeta Yavin 4 o Império já começa a transmitir ordens para uma represália contra o ataque Rebelde que estão situadas numa pequena lua próxima ao planeta.

Uma equipe de especialistas Rebeldes então é designada para interceptar essas transmissões no entreposto onde o Império está, mas ao chegar lá já se encontram sob ataque, o que deixa a suspeita de que as tropas imperiais estivesse os aguardando.

O time de Rebeldes foi formado por um wookie guerreiro (eu), a contrabandista boa de tiro, o veterano atirador e o renegado sorrateiro e o nosso objetivo nesse primeiro cenário é em até 6 turnos, destruir todos os terminais de comunicação da base Imperial, mas não é uma tarefa simples uma vez que temos uma galera nos atacando ferozmente.

Esse é Gaarkhan, o wookie bom de briga!

O Imperial Assault tem um sistema de turnos alternados muito bacana, um de cada vez, os Rebeldes fazem todo o seu turno e intercalado a isso o Império aciona suas peças, a ordem fica a cargo tanto da equipe de heróis que decide a melhor forma de agir, quanto os vilões que também agem da melhor forma para tentar impedir o avanço Rebelde.

A porradaria fora do entreposto até que foi tranquila, com poucas hits, o wookie tem uma habilidade boa de “charge” que faz com que ele movimente e ataque, e arma dele também é boa fazendo um bom estrago, com isso abrimos logo a porta.

A coisa já começa feia, e não melhora muito!

Ao entrarmos é que a coisa ficou preta, fomos atrasados por uma artilharia pesada e mais troopers que vinham de encontro a galera, com isso chegamos ao turno 5 com apenas metade dos transmissores destruídos, mas resolvemos que iríamos no esquema Rogue One, se o objetivo era destruir por um bem maior, bora destruir.

O último turno foi pra cair dentro dos transmissores, e com uma estratégia bem definida, uma mão boa nos dados e apenas um dos heróis ferido seriamente, conseguimos derrotar o Império.

Artilharia pesada para parar os bravos Rebeldes.

Ao final da partida cada herói ganhou uma recompensa em grana (para comprar melhorias), um ponto de experiência para gastar em cartas (eu preferi guardar o meu, tem cartas muito boas mais caras) e estamos prontos para o próximo capítulo!

Blog de Origem: E aí, tem jogo? – A sua página sobre jogos de tabuleiro moderno.
Link: http://ift.tt/2rrR6lm
Autor: Carlos “Cacá”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s