Can’t Stop – Versão Caseira !

Caixa do Jogo original !
Nossas Versões Caseiras são confeccionadas artesanalmente e para uso pessoal somente, sendo proibida qualquer tipo de venda !
Hoje vamos falar um pouquinho sobre o sempre bom Can’t Stop. Digo “sempre bom” pois é um dos Jogos que o pessoal mais gosta por aqui, talvez por  ter um lado “Pub” onde a discontração rola solta.
Jogo original !


Can’t Stop é basicamente um jogo de corridas, onde você rola 4 Dados e faz 2 combinações com eles. O resultado da soma dessas combinações, você coloca os marcadores no Tabuleiro, que vai de 2 a 12, sendo que alguns números possuem poucas casas até o topo e outros já tem um caminho um pouco mais longo para ser percorrido até lá.
Vence a partida quem conseguir completar primeiro 3 números quaisquer. Completar aqui, significa fazer seu marcador chegar até o topo da coluna daquele referido número. Uma vez que você completou um número, você “trava” esta coluna para os demais jogadores.
A grande brincadeira do jogo está em arriscar se continua ou não rolando os Dados, já que você corre o risco de não conseguir nenhum resultado que precisa na rodada e não coloca ou avança marcador nenhum.
Joguinho muito bacana e facílimo de ser feito. Reparem nas nossas Versões Caseiras, que fizemos algo rápido, bem improvisado, com números escritos à Caneta mesmo e utilizamos Tampinhas de Refrigerante como marcadores e alguns Dados artesanais que tínhamos em mão.
As Regras são diminutas, pois à sua vez, você rola 4 Dados e faz 2 combinações possíveis. A soma destas combinações darão à você a oportunidade de colocar algum marcador na coluna referente a esta soma. A grande questão deste Jogo, é que você não coloca os marcadores imediatamente após a rolagem dos Dados, mas coloca “marcadores provisórios”.
Caso decida parar a rolagem, você substitui estes “marcadores provisórios” pelo seu marcador que realmente está em Jogo.
Considerando que você possui 3 “marcadores provisórios”, uma vez que os 3 estão em Jogo, você terá que decidir se passa a vez ao próximo Jogador ou para por aí mesmo. Caso você decida prosseguir e conseguir alguns dos valores indicados por estes 3 “marcadores provisórios”, você avança 1 espaço e por aí vai. Caso você não consiga nenhum destes 3 valores, você simplesmente passa a vez ao próximo Jogador e não marca nada.
Can’t Stop é um Jogo onde você arrisca na rolagem dos Dados ! Corre-se o risco de se empolgar com os resultados dos Dados e ir avançando casas, até que não sai nenhum dos 3 valores e lá se foi para o ralo todo o trabalho.
É um jogo divertido ! E quando os resultados não saem, terão que aguentar os outros Jogadores, pois a torcida para que você pare é constante.
Para aqueles que querem um pouco de diversão e gostam de jogar sem ter muito compromisso com vitórias, Can’t Stop é mesa certa !
Jogo muito recomendado !

Abaixo, mostramos uma sequência de imagens da confecção de uma de nossas Versões Caseiras ! Estas imagens foram feitas na Ecobrinquedoteca do Parque – Campinas SP.



Blog de Origem: Clube do Tabuleiro de Campinas
Link: http://ift.tt/2wQtV2z
Autor: Wagner

TOP 3 : Controle de Área

Controle de área deve ser a mecânica que eu mais gosto entre todas, as disputas pela soberania de determinado espaço, os botes e as pernadas que geralmente tem nesses jogos fazem deles jogos com bastante marcação, interação e comprometimento dos jogadores prestando atenção em todos os movimentos dos adversários.

Pensando neles, elegi três que eu tenho que indicar para vocês, e embora infelizmente nenhum deles esteja disponível no Brasil (embora um já tenha sido anunciado), vale a pena conhecê-los caso tenham oportunidade.

Chaos in the Old World é um jogo onde o controle de área é importante para algumas ração, mas é fundamental para todas, pois as que não precisam de controle, precisam dar porrada nas outras, então o mapa central é uma carnificina só.

Ele tem outros elementos como controle de mão de cartas, pontos de ação, poderes variáveis, mas a parte de controle de área dele é bem importante no decorrer da partida.

Esse é uma pérola do mestre Wolfgang Kramer, um controle de área “raiz” onde os jogadores disputam terreno palmo a palmo, tem que pensar muito a melhor hora de construir suas barracas e subir os templos (principalmente a hora de fechar esses tiles).

No Tikal o downtime é daquele mega, um dos poucos motivos pra ele não ser o topo da lista de controles de área, mas ainda assim é um jogo que beira a perfeição no estilo.

Esse ano ele está ganhando um relançamento caprichado e a Conclave deve trazer o jogo para o Brasil. Vamos ficar na torcida.

O primeiro nesse TOP3 é também o meu TOP1 de todos os tempos, El Grande.

Também cria do Kramer, esse é um jogo perfeito na minha opinião, tudo nele tem a dose certa, até mesmo o caos envolvido em algumas ações e a sorte nas cartas de ação.

A forma como ele se desenvolve, o posicionamento dos cubos no mapa, o leilão pela ordem de jogo, cara, até o manual do jogo é sem falhas!

Nos 20 anos, novo castelo, meeples e um Rei roxo!

Um dos grandes trunfos do El Grande também é a facilidade com que o jogo é explicado, e a simplicidade com que ele é jogado e numa mesa de jogadores mais cascudos, as partidas são disputadas cubo a cubo.

Ele em 2015 comemorou 20 anos com um box cheio de coisas legais como outras expansões, artes novas, meeples substituindo os cubos, e ainda é tranquilo conseguir importar essa versão e mesmo depois de tantos anos, ainda é o rei dos jogos de controle de área.

Blog de Origem: E aí, tem jogo? – A sua página sobre jogos de tabuleiro moderno.
Link: http://ift.tt/2fzekkr
Autor: Carlos “Cacá”

JUG e JUGuinho 2017

É com enorme felicidade que anunciamos os finalistas ao melhor jogo do ano e o melhor jogo infantil do ano 2017.

It is with great happiness that we announce the finalists to the best game of the year and the best children’s game of the year 2017.

JUG_logo

Este ano os finalistas são: / This year the finalists are:

JUG 2017 – Adult Game of the Year

  • Great Western Trail – Alexander Pfister / Pegasus Spiele
  • Terraforming Mars – Jacob Fryxelius / FryxGames
  • Clank: A Deck-Building Adventure –  Paul Dennen / Renegade Game Studios
  • Scythe – Jamey Stegmaier / Stonemaier Games
  • Ulm – Günter Burkhardt / HUCH! & friends

JUGuinho 2017 – Children Game of the Year

  • IceCool – Brian Gomez / Brain Games
  • Kullerhexe – Marco Teubner / Drei Magier Spiele
  • Donkey Derby – Walter Müller / Franjos Spieleverlag
  • Leo – Leo Colovini / Abacusspiele
  • Touria – Inka Brand, Markus Brand, Michael Rieneck / HUCH! & friends

Votações Abertas / Open Votes ! (lateral/sidebar)

O anúncio dos vencedores será feito dia 30 de setembro.

The winners announcement  will be made on 30 September.

Blog de Origem: JogoEu
Link: http://ift.tt/2wOWVaJ
Autor: abruk