Materiais para utilização em Jogos !

Tempos atrás, fizemos algumas postagens aqui no Blog, sobre Materiais que podem muito bem serem utilizados em Jogos, principalmente Versões Caseiras ou mesmo fazendo parte do processo de Criação e Protótipos:
Hoje estamos repetindo o Tema, pois recebemos diversas doações de Materiais realmente interessantes e embora muitos deles sejam os mesmos da postagem anterior, mostra o quanto podemos aproveitar, já que normalmente eles vão para o Lixo.

Quem acompanha nosso Blog, sabe que sempre procuramos incentivar a confecção de Jogos Caseiros utilizando Materiais alternativos, principalmente Tampinhas dos mais variados tipos.




Reutilizar estes Materiais abre as possibilidades, pois existem aos montes por aí, com várias formas e cores e basta dar uma atenção especial a eles e teremos excelentes Materiais para os mais diversos Jogos e Brinquedos. E o mais importante: A um Custo zero ou bem próximo disso.




A propria “criação” já faz parte do Lúdico, pois é preciso muitas vezes adaptar-se com o que você tem nas mãos, mas enganam-se quem pensam que os resultados não são satisfatórios.

A quantidade de Material que é jogado fora diariamente nas grandes Cidades é um desperdício, pois dentre estes Materiais, existem aqueles que poderão muito bem serem utilizados em Escolas ou mesmo em Grupos mais carentes da Sociedade, fazendo assim com que todos tenham acesso a Jogos e Brinquedos bem interessantes.




É claro que não estamos falando aqui em “qualidade”, comparado aos Jogos e Brinquedos originais vendidos nas Lojas, mas com a adaptação, chega-se a um resultado lúdico idêntico, pois o que importa em um Jogo é saber como ele funciona.




O “Jogar” em sí, independe da qualidade dos Componentes, pois existe a Estrutura central de como tudo funciona. Incorporada nesta Estrutura central vem os Componentes mais elaborados, como Peças plásticas, Tiles, Tabuleiros que primam pela qualidade e que enchem os olhos daqueles que olham para a mesa. Mas esta incorporação, embora seja muito interessante para o Jogo, pois coloca o Tema de forma mais real, não altera em nada as Regras.




E é justamente nas Regras que fixamos nossos olhares quando queremos fazer ou criar algum Jogo. Para aqueles que vão produzir e vender Jogos e Brinquedos, incorporar aspectos de beleza é muito interessante e muitas vezes é parte essencial para que alguém compre ou não determinado Jogo, independente das Regras. Mas procuramos focar aqui o outro lado que é você ter as Regras em mãos e adaptar o Jogo com estes Materiais que estamos tratando aqui. 




Com isso você acaba tendo um Jogo de excelente qualidade quanto às Regras, utilizando Materiais praticamente a Custo “zero”. Desta forma, você acabará por colocar um Grupo de pessoas que não teriam oportunidade de Jogar determinado Jogo importado, por exemplo, dentro deste nosso mundo de Jogos.




Nesta postagem, apresentamos inúmeros Materiais que recebemos e que serão transformados, em sua grande maioria,  em Jogos de Tabuleiro.




Com isso, estamos cumprindo nosso propósito do Blog, que é buscar sempre  o alternativo, mas sem perder o lúdico, que é parte esssencial de todo este processo.



Blog de Origem: Clube do Tabuleiro de Campinas
Link: http://ift.tt/2hyBAfW
Autor: Wagner

Jogo bom tem que ser divertido?

Jogo de tabuleiro é pra divertir e entreter.

Outro dia alguém da fanpage da Boardgames Brasil levantou a bola sobre se todo jogo para ser bom tem que divertir, achei que valia escrever um pouco sobre isso e eis aqui minha opinião sobre o assunto.

Vamos partir do princípio de que as coisas que me divertem, não necessariamente vão divertir outra pessoa, passando isso pros jogos tenho vários exemplos de amigos que se divertem fazendo contas, pensando em probabilidades e outros que simplesmente se divertem em destruir a base inimiga.

Tendo isso como pensamento, o que podemos chamar de diversão nos jogos de tabuleiro?
 

Imagem & Ação, me divertiu por anos, hoje já não mais.

Desde tempos imemoriais, os jogos de tabuleiro são um instrumento de entretenimento, tanto para as crianças, quanto para adultos, e trazendo para minha realidade, já me diverti muito com WAR e Imagem & Ação, que hoje já não me divertem mais.

Nos jogos modernos vejo mesas se divertindo horrores com Munchkin, e ele é um jogo que me irrita profundamente, já outro dia passei quase 5 horas jogando Twilight Imperium 4ªed. me divertindo pra caramba.

Mas você vai dizer que são jogos totalmente diferentes, que não dá pra comparar se são bons e divertidos, então eu vou te dar dois exemplos : Caylus e Agricola.

Agricola é muito mais que Caylus (mas há quem conteste).

Ambos são worker-placement “raiz”, só que uma partida de Agricola me diverte, eu termino uma partida dele querendo jogar de novo, enquanto eu não consigo jogar Caylus mais, o jogo me deixa entediado e torcendo para que acabe logo, mas não tiro o mérito dele.

O lance é que o jogo pode ser bom sem ser divertido, acontece muito, MAS pra mim jogos que divertem terão sempre primazia na hora de escolher uma partida, sendo assim é certo que eu vá sentar numa mesa de Pablo ao invés de uma de Tigris & Euphrates, mesmo sabendo que esse segundo é um jogão, mas pra mim ele é chato que doi.

Então, depois de escrever um monte, a minha resposta para o amigo do Face : Jogo bom deve ser divertido pra quem joga, a experiência tem que ser boa, se ele não for divertido pra ninguém com certeza ele não será bom.

Mas nem sempre todos se divertem jogando.

Blog de Origem: E aí, tem jogo? – A sua página sobre jogos de tabuleiro moderno.
Link: http://ift.tt/2wl5sCx
Autor: Carlos “Cacá”